Avança Saúde Diabetes promove diagnóstico e encaminhamento de pacientes neste sábado

As 470 UBSs da capital participam da ação que vai das 8h às 17h


Este sábado (28) acontece o Avança Saúde Diabetes, ação de promoção à saúde de pessoas com diabete mellitus, que envolverá as 470 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da cidade de São Paulo. A iniciativa, que acontece das 8h às 17h, promoverá o monitoramento glicêmico de cidadãos assistidos pelo Programa de Automonitoramento Glicêmico (PAMG) e a busca ativa por pessoas com a doença. Pacientes diagnosticados serão encaminhados para atendimento médico, de enfermagem, farmacêutico e nutricional.


Considerado hoje um dos principais problemas de saúde pública no mundo, o diabetes mellitus é uma Doença Crônica Não Transmissível (DCNT) que ocorre quando o corpo não é capaz de produzir insulina (diabetes tipo 1) ou não consegue empregar de forma adequada a insulina produzida (tipo 2). Produzida no pâncreas, a insulina é o hormônio responsável por controlar a quantidade de glicose no sangue. Além dos diabetes tipo 1 e tipo 2, existe também o diabetes gestacional, que, embora não seja crônico, pode trazer complicações à saúde da mãe e do bebê.

Doença cresce no país


Nas últimas décadas a doença vem registrando um avanço ininterrupto em todo o mundo. No Brasil, o percentual de diabéticos entre a população chegou a 9,14% em 2021, de acordo com o Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por inquérito Telefônico), pesquisa realizada anualmente pelo Ministério da Saúde para colher informações sobre fatores de risco de saúde da população. Esse percentual, colhido a partir de mais de 27 mil entrevistas em todo o país, representa um aumento de 11,47% sobre 2020.


As estatísticas mostram ainda que 90% da incidência da doença na população é do tipo 2, que tem causas muitas vezes evitáveis, como ausência de hábitos saudáveis em alimentação, sedentarismo e sobrepeso. Por isso, promover a prevenção e o diagnóstico é um desafio central nas estratégias de saúde pública.


Além de ser uma enfermidade crônica que avança de forma silenciosa (a Organização Mundial da Saúde estima que até 50% das pessoas não saibam que têm a doença, o que significa que ela é subnotificada), o diabetes pode causar enormes prejuízos à saúde quando não é tratado corretamente, com riscos aumentados em caso de infecção por Covid 19, danos aos olhos, rins, vasos sanguíneos, coração e nervos, entre outros.


Rede Municipal de Saúde oferece atendimento integrado


Atualmente, cerca de 124 mil pessoas com diabetes são atendidas pela SMS para realizar o automonitoramento glicêmico por meio do PAMG. O programa fornece materiais como glicosímetro, tiras, lancetador, lancetas e recipiente para descarte de resíduos perfurocortantes. Cada paciente é cadastrado em sua UBS de referência e tem agendamento feito mensalmente para retirada dos insumos, acompanhamento dos exames realizados e consulta médica a cada três meses.


Para os pacientes insulinodependentes as canetas de insulina humana NPH e Regular são fornecidas nas farmácias das unidades de saúde municipais. Os dispositivos, de fácil manuseio, permitem maior precisão na administração da dose e proporcionam maior segurança na aplicação. Além desses pacientes, o PAMG também contempla gestantes com diabetes gestacional, que não fazem uso da insulina mas precisam do controle.


Na frente de educação do PMAG, foi lançado no dia 18 de maio o programa “Viva a vida com diabetes”, que promove ações para conscientizar pessoas com a doença sobre as consequências de não realizar o controle adequado dos níveis glicêmicos e tomar os cuidados necessários para evitar complicações.

SECOM - Prefeitura da Cidade de São Paulo Telefones: 3113-8835/ 3113-8831 E-mail: imprensa@prefeitura.sp.gov.br Acervo de vídeos: https://shre.ink/YYP Sala de imprensa: imprensa.prefeitura.sp.gov.br

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo