• Camilo Cristófaro

Tudo sobre a Dengue

Atualizado: 21 de Nov de 2019



Dengue é uma doença febril grave transmitida por picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti que, após picar uma pessoa infectada com um dos quatro sorotipos do vírus, pode picar e infectar outras pessoas.


A dengue não é contagiosa e não pode ser transmitida de pessoa para pessoa.


Há registro de transmissão de dengue através da transfusão de sangue, mas não existe transmissão do vírus de uma mulher grávida para o feto, embora a infecção possa provocar aborto ou parto prematuro.


Quando diagnosticada e tratada adequadamente, a dengue não provoca sequelas.


O mosquito deposita seus ovos em locais com acúmulo de água parada, ambiente ideal para a proliferação. Os ovos costumam sobreviver em locais secos no período de um ano, até encontrarem condições ideais para se desenvolverem.


Existem quatro tipos diferentes de vírus de dengue e todos podem manifestar as diferentes formas da doença: clássica, hemorrágica e com complicações.


A pessoa infectada por um tipo de vírus gera imunidade permanente para ele, mas pode infectar-se com outro sorotipo, o que aumenta o risco de doença na sua forma hemorrágica.


Em alguns casos, existe a ausência de sintomas, o que faz com que a doença passe despercebida. Em outros quadros, podem ocorrer complicações que podem levar a óbito.


Pessoas de todas as faixas etárias são suscetíveis à doença, porém, o risco de gravidade aumenta para os mais velhos e para as pessoas portadoras de doenças crônicas, como diabetes ou hipertensão.



Os sintomas da dengue


  • Febre alta, maior que 38.5ºC que, em geral dura de 2 a 7 dias.

  • Dores intensas no corpo e articulações.

  • Dor ao movimentar os olhos.

  • Mal-estar, fraqueza.

  • Perda de peso.

  • Dor de cabeça.

  • Manchas vermelhas no corpo.

  • Erupção e coceira na pele.

  • Falta de apetite, náuseas e vômitos e diarreias leves costumam ser sintomas menos frequentes, mas que podem se manifestar.

Na maioria dos casos, a infecção por dengue é assintomática (sem apresentação de sintomas).


Os sintomas costumam evoluir em três formas clínicas:

  1. Dengue benigna: semelhante a uma gripe forte.

  2. Dengue leve: caracterizada por alterações na coagulação sanguínea.

  3. Dengue grave: forma rara que exige atendimento rápido e especializado e pode levar à morte.


A forma grave da doença apresenta:

  • dor abdominal intensa e contínua, ou dor à palpação do abdome,

  • vômitos persistentes,

  • sangramento nasal, gengival e vaginal ou outra hemorragia,

  • hematomas ou rompimentos de vasos superficiais da pele.


Diante desses sintomas, é importante procurar imediatamente um serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados, todos oferecidos de forma integral e gratuita por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).


É de extrema importância identificar precocemente os casos de dengue. Nos casos de apresentação dos sintomas, procure imediatamente um médico.



Diagnóstico


Em caso de suspeita é fundamental procurar um médico, uma vez que o diagnóstico da dengue é clínico e deve ser confirmado através de exames de sangue disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS) que, em caso de confirmação da doença, deve notificar o Ministério da Saúde em até 24 horas.



Tratamento e cura


Na maior parte dos casos, a cura da dengue ocorre de forma espontânea depois de 10 dias.


Em casos mais graves, esse período será alterado de acordo com a gravidade da infecção.


Entre as formas de aliviar os sintomas estão: fazer repouso, ingerir grande quantidade de água por via oral ou hidratação por via venosa, não se automedicar.


Analgésicos e medicamentos para baixar a febre deverão ser prescritos pelo profissional de saúde uma vez que antitérmicos que contém ácido acetilsalicílico (AAS, Aspirina, Melhoral, entre outros) e anti-inflamatórios interferem no processo de coagulação do sangue.



Como prevenir


Eliminar os criadouros do mosquito é a melhor maneira de prevenção contra a Dengue.


Mantenha caixas d’água fechadas e limpas; evite o acúmulo de água parada em pneus, garrafas, piscinas sem uso ou sem manutenção, latas e recipientes pequenos. Coloque areia nos suportes ou pratos de vasos com plantas.


Em locais infestados por mosquitos, recomenda-se o uso contínuo de repelentes e inseticidas (observe e siga as instruções dos rótulos), mosquiteiros e instalação de telas em janelas. Os mosquitos costumam ser mais ativos durante o dia.


A única vacina contra a dengue registrada na Anvisa não está disponível no SUS.


Ela poderá ser adquirida em clínicas particulares por cerca de R$ 140,00 e administrada em três doses com intervalos de seis meses.


No momento, só existe uma vacina contra dengue registrada na Anvisa, que está disponível na rede privada. Ela é administrada em três doses no intervalo de um ano.


14 visualizações
fale comigo

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

PALÁCIO ANCHIETA

Viaduto Jacareí, 100 - 4° andar, Sala 404

São Paulo, SP - 01319-900

​​WhatsApp: (11) 9860-40400

camilocristofaro40400@gmail.com

  • Facebook Vereador Camilo Cristófaro
  • Instagram Vereador Camilo Cristófaro
  • YouTube Vereador Camilo Cristófaro
  • Twitter Vereador Camilo Cristófaro